19/12/2008

O LADRÃO DA CAIXA

A maioria de nós já fez uma obra, ou acompanhou, ou ouviu a história contada por quem a realizou. Esta maioria aprendeu que o custo final é sempre maior que o valor orçado. Da inflação a itens não previstos, passando por adições ao projeto ao longo da execução, o custo vai crescendo. Mas há um limite imposto pela capacidade de pagamento de cada um. Não conheço caso em que o custo final tenha ficado acima do dobro do orçado, por mais incompetentes planejadores que tenhamos sido. Se há caso em que passou, a obra não terminou sem que o idealizador tenha falido.

18/12/2008

A CESAR O QUE MERECE

Está na pauta de todos os dias de 2008: o desprezo de César por seus súditos. Sim, súditos, desta cidade transformada em reino de um déspota. Não há lei para puní-lo a se considerar o "lead" de hoje: "Acordo na Câmara deve livrar Cesar Maia de punição". Não li o resto porque não há mais necessidade de razões para quem já recebeu o título de "ex-prefeito em exercício".

17/12/2008

O EXECUTIVO DA CAPA

Cinquenta bilhões de dólares é a primeira estimativa do golpe que Bernard Madoff (com o mad em estado on) aplicou no mercado financeiro mundial. Na Colômbia ou nos EUA, passando pelo resto do mundo, somos todos iguais. Como agrupamento, somos compostos por uma minoria que se aproveita da boa índole da maioria.