27/12/2013

PeTrobrás

Uma pausa na sequência "Alicerces da Corrupção".

Recebi nesta semana natalina, o repasse de uma mensagem sobre o "causo" PeTrobrás que considero bastante consistente. Como não sou de repassar essas coisas sem antes verificar a origem, fui ao Google e digitei o nome do autor: Marco Antonio Pinto de Faria.

E logo surgiu o blog do Grupo Skill. Em lugar, portanto, de repassar a mensagem ou reproduzir o texto aqui, dou o link da postagem a que me refiro.

04/12/2013

ALICERCES DA CORRUPÇÃO - Parte III

Se ainda não leu, leia sobre o Transtorno de Personalidade Antissocial (link na postagem Parte I desta série), é fundamental para você compreender exatamente minha tese.

Como você está se sentindo em relação a ser "ajudado" por seu amigo empresário? Ah! Sei, não é seu amigo! É amigo do presidente do diretório do partido na sua cidade. É dono de uma construtora? Que legal! Ele já foi ajudado por este amigo? Ah! Sei, eles frequentam a casa um do outro, churrasco em finais de semana, viajam juntos para a Europa... Sei.

22/11/2013

ALICERCES DA CORRUPÇÃO – Parte II


Na postagem anterior deixei no ar a sugestão de que o Transtorno de Personalidade Antissocial (TPA) pode ser um forte candidato a alicerce universal da corrupção. Na verdade é o que pretendo demonstrar convidando-o a colocar sua mente para me acompanhar numa trilha pelos labirintos e bastidores dos ambientes onde a palavra-chave é “poder”.

É até possível que você já tenha pensado sobre os preços que uma pessoa terá a pagar para chegar a ocupar um cargo político e, portanto, uma posição de poder, mas provavelmente não com a sistemática que pretendo seguir aqui. Portanto, tenha você ou não pensado no assunto, espero poder adicionar algumas reflexões para enriquecer suas conclusões.

19/11/2013

ALICERCES DA CORRUPÇÃO - Parte I

Posso estar errado, mas a corrupção nestes últimos anos me parece frequente demais. Uns podem argumentar que agora o sistema está mais capacitado a pegar os recalcitrantes, sei não. Sei que a fulana, a tal da dona Corrupção, voltou aos noticiários neste feriado prolongado de 15 de novembro de 2013 por conta da prisão de alguns condenados do Mensalão do PT.

Já publiquei aqui alguns posts sobre o tema, tema este sobre o qual reflito há mais de 30 anos à procura de uma formulação das origens e sustentação da presença desta senhora na vida cotidiana de todos nós. E quando digo todos, estou me referindo à humanidade. A corrupção não tem nacionalidade, não tem profissão, não tem nível cultural, social ou econômico, não tem sexo, não tem cor, não tem nem mesmo idade, creiam. Mas tem algo básico que pretendo mostrar.

12/11/2013

É DURA A VIDA DE BANDIDO!

O escândalo deste fim de 2013 está na cidade de São Paulo, mais precisamente dentro da Secretaria de Fazenda do Município. 

Na TV, a reportagem exibe uma gravação onde ouvimos a seguinte proposição filosófica, dita por Luis Alexandre Cardoso Magalhães, auditor da secretaria, aparentemente o pivô da roubalheira: "Ninguém vai mexer no meu patrimônio, tá? Porque ser bandido também é difícil e eu vou preservar o meu emprego." O de bandido ou de fiscal? Ou é tudo junto?

08/11/2013

LULA, DILMA E PT

Vou adicionando neste post o que encontrar sobre o desempenho dos acima citados.

Começo com isto:


Manchete de O Globo de 15/jan/13: CONTA DE LUZ MENOR CHEGA EM MARÇO.
Manchete de O Globo de 16/jan/13: USO DAS USINAS ESTE ANO DEVERÁ ENCARECER A TARIFA EM 15%.

Você é um palhaço! Ou marionete? Ou um grande babaca na visão petista? Faça sua escolha.

---------------------------------------------------------------------




 Miriam Leitão – A história da derrocada [de Eike Batista]



30/07/2013

HABEMUS PAPA!!! (*)

Para que o e-leitor possa ter uma correta interpretação das opiniões que vou expor, antes de continuar é preciso esclarecer três coisas. A primeira é o fato de que sou ateu radical (um dia escrevo sobre isso). A segunda é que estive fora do país de 23 a 29 de julho, ou seja, não vivi a estada de Francisco, o Papa, no Rio de Janeiro. A terceira é que fechei minhas conclusões após: a) ter visto a multidão na praia de Copacabana; b) ter ouvido os relatos do motorista do taxi que me levou do Galeão para casa; c) ter assistido à entrevista feita pelo jornalista Gerson Camarotti na Globo News; e d) ter visto as manchetes de O Globo de 24 a 30 de julho (reproduzidas abaixo).

10/07/2013

RESISTÊNCIA À TRANSPARÊNCIA

A última coisa que alguém que detenha o poder quer, em especial o político, é ser transparente. Se no ambiente empresarial, mesmo naquele com pouco ou nenhum espaço para a corrupção, a transparência é difícil de ser praticada, imagine-se num ambiente em que a falcatrua pode ser praticada com desenvoltura! 

03/07/2013

DÚVIDAS CRUÉIS!!!



Nem sei se são tão cruéis assim, mas considerando este exemplo acima, o grau de dificuldade em encontrar respostas plausíveis varia de difícil a... sem resposta. Listo algumas.

01/07/2013

CORRUPÇÃO NOSSA DE CADA DIA

O movimento Ruas2013.BR está nos dando a oportunidade de refletir sobre diversas questões. Uma, particularmente, ocupa minha cabeça insistentemente. É sobre a tal da corrupção.

Ah! Antes, uma que descobri ontem (2/7/13). Existe (acho que na UnB) uma cátedra só sobre... corrupção!!!

29/06/2013

CONSULTA, PROJETO, APROVAÇÃO E REFERENDO

Neste texto, adoto o termo "e-consulta". Consulta, por significar "busca de aconselhamento". Enquanto plebiscitar tem o objetivo de dividir entre "sim" e "não", de indicar o caminho, consultar é buscar informações que auxiliem a busca de um melhor caminho. Além disso, considerada as tecnologias de comunicação atuais, a maneira mais eficiente, rápida e barata de ser fazer uma consulta a um contingente de pessoas é através de meios "eletrônicos". Assim, "e-consulta" significa "consulta pela internet", por qualquer dispositivo eletrônico que a ela nos possa permitir acesso.

26/06/2013

PLEBISCITO OU REFERENDO

Pela urgência em que estão querendo realizar um plebiscito, temos urgência em entender as consequências da proposta e a sua alternativa. É por achar que esta questão é de alta relevância, tanto no presente das questões brasileiras, quanto para um novo modelo de participação da sociedade nas prioridades da aplicação dos recursos públicos, que me disponho a distribuir este texto.